PATh logo

João A. P. Coutinho
João Coutinho

Nasceu em 1969 em Marco de Canavezes. Licenciou-se em Engª Química na FEUP em 1992 e depois foi conhecer o Mundo. Estudou termodinâmica e petróleos na Dinamarca onde descobriu o design e a arquitectura moderna, as estampas japonesas, e que o jazz pode ser uma música popular. Doutorou-se aí em 1995 e seguiu a pista dos hidrocarbonetos até Paris onde no Instituto Francês do Petróleo percebeu que a liberdade que necessita para trabalhar e ser feliz dificilmente se poderiam encontrar numa empresa. Deixou bons amigos em França. Continua a adorar fotografia e mergulho, a passear por Paris como se fosse a sua casa e a empanturrar-se de jurançon, fois-gras e banda desenhada cada vez que ali volta. A colaboração tem sido tão produtiva que ganhou o prémio da APDF para a melhor colaboração Luso-Francesa em 2003. O primeiro filho trouxe-o de volta a Portugal e o casamento levou-o até Aveiro onde encontrou uma Universidade que o faz sentir como se vivesse dentro de uma revista de arquitectura. Criou aqui um grupo de investigação multidisciplinar que teve o impulso inicial através de um prémio de estímulo à investigação da Gulbenkian e cujas áreas de trabalho vão desde a exploração e transporte de combustíveis fósseis, à produção e formulação de biocombustíveis, à caracterização de solventes não convencionais para desenvolvimento de novos produtos e processos químicos, à caracterização de polímeros biodegradáveis e à biotecnologia. Nesta última área foi um dos responsáveis pela criação da licenciatura e mestrado em Biotecnologia na Universidade de Aveiro e é actualmente o seu director de curso. Interessa-se pela produção de biosurfactantes, pela biorremediação e por estudos de toxicidade sobre organismos modelo e microorganismos de interesse industrial.



João AP Coutinho was born in 1969 in Marco de Canavezes. Got his degree in Chemical Engineering at FEUP in 1992. He studied thermodynamics and oils at IVC-SEP, Technical University of Denmark, where it simultaneously discovered design and the modern architecture, the Japanese woodblock prints, and that the jazz can be a popular music. There he got his PhD in Chemical Engineering in 1995 and it followed the oil track to Paris where in the French Institute of Petroleum (IFP) he realized that the freedom that he needs to be happy could hardly be found in a company. He left good friends in France. He continues to love photograph and diving, to take a walk in Paris as if it was his house and to stuff himself with Jurançon, fois-gras and comic books each time that he returns there. The cooperation with French reaserachers, in particular at Pau University has been so productive that they won the APDF prize for the best collaboration between the two countries in 2003. His first son brought him back to Portugal and the marriage took him to Aveiro where he discovered an University that makes him feeling as if he lived inside an architecture magazine. Here he created a multidisciplinary research group that had its initial impulse through a prize of the Gulbenkian Foundation. Their research areas range from the exploration and fossil fuel transport, to the production and formulation of biofuels, the characterization of non-conventional solvents for the development of new products and chemical processes, the characterization of biodegradable polymers and biotechnology. On this last domain he was one of the responsible people for the creation of the BSc and MSc in Biotechnology at the University of Aveiro. He is interested in the production of biosurfactants, bioremediation and studies of toxicity on model organisms and microorganisms of industrial interest.








A